Investimento em Ouro

Conheça os fundos de investimentos do mercado e saiba como escolher

Quem busca diversificar as fontes de renda frequentemente tem dúvidas sobre quais são os melhores fundos de investimentos.

Aura | 31 de janeiro de 2022

Quem busca diversificar as fontes de renda frequentemente tem dúvidas sobre quais são os melhores fundos de investimentos. Basta abrir o aplicativo da corretora de valores para encontrar diversos produtos. Mas quais seriam as mais indicadas?

Um fundo de investimento é um mecanismo coletivo. Nele, investidores adquirem cotas para terem o direito à participação nos resultados, enquanto os aportes e decisões são tomadas por um gestor profissional, conforme regras estabelecidas em contrato.

Na prática, os fundos podem apresentar características bastante distintas entre eles. Portanto, o investidor deve conhecê-las para ter clareza sobre as possibilidades oferecidas pelo investimento. Continue a leitura e entenda o que considerar na sua estratégia!

Quais são os principais tipos de fundo de investimento?

Ao montar carteira de investimentos, é importante considerar a diversificação. Expor o patrimônio a diferentes ativos é uma estratégia utilizada para mitigar os riscos. Em termos simples, é distribuir os "ovos" em várias cestas.

No entanto, a estratégia do investidor pode demandar mais tempo, esforço, recursos e conhecimento do que ele teria sozinho. Em tais situações, o fundo de investimento pode tornar o investimento mais acessível, permitindo a aquisição de uma pequena participação.

Por isso, vale a pena conhecer os diferentes tipos de fundos para saber em quais segmentos ele pode atuar.

Fundo Imobiliário

Um tipo bastante procurado no mercado é o fundo imobiliário. Nessa categoria, o investidor expõe seu patrimônio ao segmento de imóveis, podendo comprar cotas em três categorias principais: fundos de papel, fundos de tijolo e fundos de fundos.

Nos fundos de papel, o administrador do fundo faz o aporte em títulos de crédito e valores mobiliários relacionados ao segmento imobiliário. A letra de câmbio imobiliária (LCI) e o Certificado de Recebíveis Imobiliários são exemplos.

Já nos fundos de tijolos, os investimentos são realizados na propriedade de imóveis: terrenos, prédios de apartamentos, casas, salas comerciais, galpões etc. Assim, o desempenho do fundo vai refletir os ganhos com os negócios do setor, como lançamento, aluguel, compra e venda.

Por fim, os fundos de fundos são aqueles que adquirem as cotas de outros fundos imobiliários.

Fundo de Renda Fixa

Os fundos de renda fixa investem em ativos com remuneração previsível ao longo do tempo, como títulos do tesouro, CDB's e CDI's. Assim, o gestor realiza a função de selecionar e viabilizar produtos dessa categoria junto a diferentes instituições.

Fundos de investimento em ações

Já os fundos de investimento em ações remuneram seus investidores com os resultados da valorização desses valores mobiliários ou pagamento de proventos. Estão entre os mais procurados pelos investidores, porque a ideia é ter um profissional cuidando das negociações, em vez de tomar as decisões por si mesmo.

Exchange-Traded Fund (ETF)

Os ETFs são criados com a estratégia de espelhar o desempenho de um indicador de mercado com a maior correspondência possível. Um bom exemplo é o BOVA11, que é criado para refletir Índice Bovespa. Aliás, diversos indicadores servem de referência para os ETFs, como preço internacional do ouro, materiais básicos da economia e governança corporativa.

Uma das vantagens é que os ETFs podem ser negociados no ambiente da bolsa de valores. Assim, a operação acontece do homebroker de qualquer corretora autorizada, utilizando os códigos de negociação.

Fundos de criptoativos

Os fundos de cripto realizam investimentos em registros digitais que representam valores entre pessoas e organizações, especialmente as criptomoedas. Hoje, há uma grande variedade de ativos e moedas nessa categoria, como Bitcoin, Ether, Litecoin e Chainlink.

Em geral, os gestores dos fundos tentam rentabilizar em cima da alta volatilidade desses ativos, o que atrai a atenção de investidores dispostos a tomar mais riscos.

Fundos de Ouro

Historicamente, os investidores recorrem ao ouro para realizar estratégias de hedge (proteção). Em momentos de crise econômica e queda na bolsa de valores, o minério apresenta uma tendência histórica de valorização. Assim, mitigaria as perdas com os demais ativos.

Nesse sentido, os fundos de ouro são formados por meio da compra direta ou de investimentos realizados no minério. Ou seja, eles tentam replicar as funções do ouro na carteira de investimentos. Logo, o investidor pode expor o patrimônio sem a necessidade de comprar barras físicas, por exemplo.

Fundo Cambial

Os fundos cambiais são compostos por ativos relacionados a moedas estrangeiras, como os contratos e minicontratos de dólar. Como estratégia, eles podem criar condições para os investidores realizarem o hedge ou terem rendimentos com base nessas transações.

Multimercado

Os fundos também podem mesclar valores mobiliários, certificados, títulos etc. de diferentes categorias. Nesse caso, são considerados multimercado e podem ser criados para atender a diferentes perfis de investidor.

homem desenhando um gráfico de linha na tela pra representar os resultados dos melhores fundos de investimentos

Como escolher os melhores fundos de investimentos?

O investidor deve considerar as características e regras dos fundos de investimento para encontrar as opções mais interessantes para o seu perfil e objetivo. Pontos que merecerem atenção na hora de considerar o investimento são os seguintes.

Liquidez

A liquidez representa quanto tempo é necessário para transformar a quota adquirida em dinheiro. Nem todos os fundos fornecem liquidez diária, existindo alguns deles que exigem o respeito a um prazo mínimo de resgate.

Geralmente, o prazo de resgate vem descrito na forma de "D + número de dias". Por exemplo, se o resgate ocorrer em "D+1", será possível retirar o dinheiro um dia útil após a data em que a solicitação foi efetuada.

Nível de risco

O nível de risco é outro ponto de atenção ao considerar quais são os melhores fundos de investimentos para o seu perfil. Aqui, é importante refletir sobre os ativos que são escolhidos pelo fundo, quem é o responsável pela administração e como é feita a gestão, entre outros fatores.

Se houver preponderância de ativos mais voláteis e renda variável, a tendência é serem mais indicados para investidores agressivos ou arrojados. Já fundos que trazem estratégias de proteção e renda fixa podem coincidir mais com o investidor conservador.

É comum que a própria corretora forneça as informações sobre o grau de risco dos fundos em suas plataformas. Além disso, é importante consultar publicações especializadas para conhecer as características mais a fundo, antes de investir.

Taxas e custos

A administração do fundo de investimento gera uma taxa para todos os cotistas. Além disso, os rendimentos obtidos podem estar sujeitos a encargos e impostos, dependendo dos ativos que compõem a carteira do fundo de investimento.

Investimento mínimo

Outra possibilidade é o fundo fixar um valor mínimo para investimento. Geralmente, as corretoras definem uma quantia para a aplicação inicial e outra para a aplicação adicional. Por exemplo, um fundo pode exigir um primeiro aporte de R$10.000,00, mas permitir novos aportes de R$1.000,00.

Rentabilidade

A rentabilidade histórica do fundo é uma das informações divulgadas pelas corretoras de valores. Em tese, os fundos de investimento com maior risco tendem a estar com as variações mais radicais, com grandes perdas ou ganhos.

Já as opções mais conservadoras, como os fundos de renda fixa, tendem a ser mais constantes. Inclusive, existem diversas opções de renda fixa, fornecendo um ganho previsível, embora em percentuais menores.

Diversificação

Os fundos de investimento também podem ser avaliados quanto à possibilidade de diversificar a carteira de investimentos. Como dito, muitas vezes, é dessa maneira que o investidor consegue participar de setores econômicos aos quais não teria acesso individualmente.

Aliás, entre os fundos de investimentos, os fundos multimercado de commodities podem ser considerados para montar uma carteira diversificada. É um veículo mais simples para expor o patrimônio a esse segmento que adquirir contratos, por si mesmo, para comprar as mercadorias básicas da economia.

Quer saber mais sobre o assunto? Então não deixe de conferir nosso conteúdo sobre como investir em commodities de maneira fácil!

[AVISO IMPORTANTE: este artigo é meramente informativo e não se trata de uma recomendação de investimento. Retornos passados, quando mencionados, se baseiam em fatos passíveis de demonstração, que servem apenas como referência histórica, e não são garantia de retornos futuros. Investimentos envolvem riscos e podem ensejar perdas, inclusive da totalidade do capital investido, ou mesmo a necessidade de aportes adicionais, conforme o caso. O conteúdo deste artigo reflete apenas a opinião pessoal de seus autores.]

Posts Relacionados

Ouro futuro: entenda o funcionamento desse contrato

Investimento em Ouro
14 de março de 2022
leia agora

OZ1D: saiba tudo sobre esse contrato de compra de ouro

Investimento em Ouro
17 de fevereiro de 2022
leia agora