Investimento em Ouro

Ouro futuro: entenda o funcionamento desse contrato

Vale a pena investir em ouro futuro? Como funciona esse contrato? Qual é a rentabilidade média? E os tributos devidos? É possível investir em contratos futuros de ouro na Bolsa de Valores? Essas são apenas algumas das perguntas que muitos brasileiros passaram a fazer nos últimos anos, especialmente depois da constatação de que o investimento em ouro valorizou 256,73% de 2010 a 2020, segundo dados da Consultoria Economatica.

Aura | 14 de março de 2022

Vale a pena investir em ouro futuro? Como funciona esse contrato? Qual é a rentabilidade média? E os tributos devidos? É possível investir em contratos futuros de ouro na Bolsa de Valores? Essas são apenas algumas das perguntas que muitos brasileiros passaram a fazer nos últimos anos, especialmente depois da constatação de que o investimento em ouro valorizou 256,73% de 2010 a 2020, segundo dados da Consultoria Economatica.

Apesar do interesse crescente dos investidores sobre o assunto, ainda há muitas dúvidas sobre o tema. Pensando nisso, preparamos este post por meio do qual você poderá entender tudo sobre como investir em ouro futuro. Confira!

Afinal, o que é ouro futuro?

Similar aos demais ativos negociados no chamado “Mercado Futuro” da B3, os contratos futuros de ouro são negociações de compra e venda que estabelecem (em real) a cotação por grama de ouro em uma data futura.

Além do ouro, a B3 também negocia preços de contratos futuros de commodities (milho, soja, café etc.), moedas (dólar, euro, libra esterlina) e até percentuais de juros (como taxa Selic).

As vantagens de investir em ouro, entretanto, são diversas e bastante exclusivas, muito por conta da natureza do ativo, sendo que tais vantagens poderão ser confirmadas com seu corretor de confiança.

Quais são as vantagens de investir em ouro?

A principal delas é que o ouro é um ativo mundialmente conhecido pela característica de proteção de capital. Menos suscetível a intervenções econômicas locais, há uma tendência do metal valorizar especialmente em momentos de incerteza — como os resultados da pandemia de COVID-19 e da guerra entre Rússia e Ucrânia.

Essa particularidade reforça a constatação de que o ouro é um importante ativo de hedge na economia mundial. Por isso, em fases de indefinição no mundo todo, não é incomum que muitos investidores desloquem recursos em ativos ligados ao ouro, incluindo contratos futuros (essa decisão de aporte, entretanto, deve ser feita respeitando o perfil de risco, os objetivos, as estratégias de diversificação e o contexto de cada investidor) .

Além de positivamente proteger o capital em períodos de crise e oscilação do mercado, outros possíveis benefícios do investimento em ouro que se destacam são:

  • liquidez internacional;
  • escassez do produto, o que assegura sua valorização permanente no longo prazo;
  • oportunidade para diversificar investimentos, com risco menor que em outros ativos de renda variável;
  • aplicação com a maior rentabilidade da última década;
  • aceitação como garantia na negociação de outros contratos;
  • ampla demanda, com usos em tecnologia, como na fabricação de celulares e computadores, e para confecção de joias e itens decorativos.

Especificamente quanto ao ouro futuro, o outro grande benefício que pode ser verificado é o de negociar cotações para frente da linha do tempo e se proteger de eventuais oscilações diárias do ativo, garantindo o preço atual da grama da commodity até sua data de vencimento.

Como negociar contratos futuros de ouro?

Essa reserva de valor é negociada na B3 por meio de contratos de compra/venda do chamado “ouro fino”, com 99,99% de pureza. Cada contrato é estabelecido no momento da negociação, e o pagamento ocorre apenas no vencimento.

A cotação é negociada em real (3 casas decimais) e, de forma geral, os vencimentos acontecem sempre no último dia útil anterior ao 1º dia de cada mês.

A B3 permite contratos de compra (estimando a valorização do ativo) ou de venda (aos que apostam na desvalorização). Em linhas gerais, quem negocia ouro futuro não recebe a barra física, alinhando-se apenas a liquidação da operação (ajuste financeiro) no vencimento, algo muito semelhante ao que acontece na compra e venda de ações.

Até alguns anos, a negociação dos contratos de ouro futuro era feita apenas por telefone. Atualmente, entretanto, a maioria das corretoras de valores oferecem a possibilidade de consolidar contratos dessa commodity por meio do Home Broker (mesma plataforma de investimento usada em ações).

Como é feita a cotação desse ativo?

No Brasil, a cotação do ouro reflete as expectativas do mercado internacional (que se expressa por meio do valor do metal na Bolsa de Nova York) e esse referencial é traduzido em real de acordo com a variação do dólar.

Quem deseja investir em ouro futuro deve buscar uma corretora de valores e cientificar-se de que ela disponibiliza a negociação dessa reserva de valor em seu Home Broker, tornando possível fazer contratos futuros de ouro a partir do computador, tablet ou smartphone.

O código da negociação do nesse caso é o OZ1, acrescido da letra correspondente ao mês de vencimento do contrato. Para investir em um contrato futuro de ouro, a corretora exige que o cliente deposite um percentual do valor da transação a título de garantia.

A liquidação do ouro é feita exatamente como na venda de ações. Chegada a data de vencimento, a posição do investidor é zerada, efetuando-se o ajuste financeiro correspondente.

Se investir em ouro futuro, quais taxas e tributos devo pagar?

Para aplicar em contratos futuros de ouro, o investidor deverá arcar, inicialmente, com a taxa de corretagem. Ela é cobrada pelas corretoras em percentuais variados, embora o patamar sugerido pela Bolsa brasileira seja de 0,25% sobre o montante total atrelado à operação. Vale lembrar que algumas corretoras isentam o cliente dessa cobrança.

Além disso, há os custos da B3, que, no futuro de ouro, passam por uma taxa de liquidação fixa de US$ 0,58, uma pequena cobrança de emolumentos e uma taxa de registro (cujo valor varia segundo o volume de contratos dos 21 últimos pregões).

Por fim, há o Imposto de Renda. O IR cobrado nessas operações é de 15% sobre o lucro líquido da operação.

Quais são os principais fatores que podem influenciar o ouro nos próximos meses?

Vale a pena destacar, de forma breve, algumas variáveis geopolíticas que podem ampliar o potencial de ganho, valendo destacar que tais variáveis são apenas estudos de probabilidade não sendo recomendações para investimento.

A primeira é a recuperação econômica global lenta em um mundo pós-pandemia. Fatores como a desaceleração econômica norte-americana, além da alta de juros no Brasil, estimulam a entrada de dólares no país. Muitos deles são destinados à compra de ouro (o que, se confirmado, sugere resultados mais promissores ao ouro nos próximos meses).

Outra questão a ser observada com atenção é a invasão da Rússia à Ucrânia, típico cenário de pavor nos mercados, e que, como a história mostra, costuma resultar em busca em massa de proteção de capital em ativos ligados ao ouro.

Neste conteúdo você pôde acompanhar um panorama sobre o ouro futuro. As vantagens do investimento são abundantes, mas há muitas outras formas de proteger seu patrimônio com esse metal.

Uma delas é a compra direta com o contrato OZ1D. Saiba mais sobre esse contrato de compra de ouro!

[AVISO IMPORTANTE: este artigo é meramente informativo e não se trata de uma recomendação de investimento. Retornos passados, quando mencionados, se baseiam em fatos passíveis de demonstração, que servem apenas como referência histórica e não são garantia de retornos futuros. Investimentos envolvem riscos e podem resultar em perdas, inclusive da totalidade do capital investido, ou mesmo a necessidade de aportes adicionais, conforme o caso. O conteúdo deste artigo reflete apenas a opinião pessoal de seus autores.]

Posts Relacionados

OZ1D: saiba tudo sobre esse contrato de compra de ouro

Investimento em Ouro
17 de fevereiro de 2022
leia agora

Conheça os fundos de investimentos do mercado e saiba como escolher

Investimento em Ouro
31 de janeiro de 2022
leia agora