Mineração de Ouro

Quais são os principais tipos de ouro?

A imagem do ouro no imaginário coletivo está restrita às barras douradas reluzentes.

Aura | 3 de agosto de 2022

A imagem do ouro no imaginário coletivo está restrita às barras douradas reluzentes. Mesmo assim, quando visitam uma joalheria, muitos casais, por exemplo, entram sedentos por alianças em ouro branco. Mas, afinal, o que faz o ouro ganhar outra coloração nas joias? O que diferencia uma peça de ouro 18K de outra de 10k? Esses questionamentos revelam que há muitos tipos de ouro no mercado.

Hoje você vai conhecer cada um deles, como classificá-los e, mais do que isso, entender de qual forma o ouro se transforma, assumindo cores, texturas e intensidades distintas. Confira agora esse arco-íris de possibilidades!

Uma pergunta que parece simples (mas não é): por que o ouro é tão valioso?

Desde a Antiguidade, o ouro é cobiçado pelas mais diversas organizações sociais (fenícios, egípcios, romanos), sendo utilizado como adorno e associado a prestígio e a poder. Para além de sua simbologia e seu brilho dourado sem igual, o ouro é, objetivamente, detentor de inúmeras virtudes que explicam um pouco da razão pela qual o metal amarelo atravessou eras mantendo-se no topo entre os materiais mais valorizados.

Devemos recordar que o ouro é o mais maleável entre todos os metais existentes na natureza, não está sujeito à corrosão, é melhor condutor elétrico que o ferro, além de ser praticamente indestrutível.

Diante desses aspectos, o ouro se tornou parte indissociável do desenvolvimento industrial, e, portanto, humano, já que está presente nos componentes eletrônicos dos mais inimagináveis equipamentos — de TVs a smartphones. Mas não é somente isso.

Na Medicina, os fios de ouro já eram usados há muitos anos como sustentação em intervenções estéticas de rejuvenescimento. Mais recentemente, a nanotecnologia passou a utilizar os inúmeros tipos de ouro na quimioterapia, atuando de forma mais precisa sobre células cancerígenas.

Na Economia, o ouro é permanentemente valioso tanto por seu valor estar menos suscetível a decisões locais (usado, portanto, como “hedge”) quanto pela sua raridade. Todo o ouro já extraído na História caberia em 4 piscinas olímpicas — exclusividade que, seguindo a lógica da lei de oferta e procura, contribui para tornar o ouro ainda mais disputado na sociedade moderna.

Além disso, o ouro possui 4 características que o tornam uma das mais importantes reservas de valor do sistema econômico mundial:

  • manutenção ou crescimento de sua valoração ao longo da história econômica moderna;
  • escassez e dificuldade de ser encontrado;
  • elevada liquidez;
  • ausência de deterioração ao longo do tempo.

São por todas essas virtudes que ouro físico (em barras), fundos centralizados na compra de ouro, contratos futuros, bem como as ações de mineradoras auríferas são tão desejados por investidores no mundo todo, nos mais diferentes cenários econômicos (especialmente nos de incerteza).

Mas o ouro não tem a unicidade que muitos acreditam. Existem incontáveis tipos de ouro, inclusive sob a perspectiva anatômica ou visual.

Quais são os tipos de ouro existentes e como são comercializados?

Ouro não é tudo igual, a começar pelo seu teor em cada amostra, ou seja, o grau de pureza do metal. Isso porque, pelo seu custo, escassez e forma (é maleável demais para ser comercializado em estado puro), é normal que o metal dourado seja misturado a outros metais, o que explica os referenciais em quilates, bem como sua coloração.

Veja detalhes.

Quilates

Na “escala” de pureza medida em quilates, 24K indica o máximo de pureza possível. Contudo, como o ouro não é encontrado 100% puro na natureza, dizemos que esse parâmetro se refere a um produto com 99% de ouro. Da mesma forma, se uma joia é vendida sob o anúncio de ter 16K, significa que possui cerca de 66% do metal amarelo.

Como lembrado acima, por conta de sua extrema flexibilidade, se você comprasse uma joia de 24K, ela seria deformada a cada toque. É por isso que é necessário trabalhar uma peça de ouro com outros metais, a fim de criar a liga metálica perfeita para comercialização (em barras ou joias).

Segue abaixo um rápido roteiro para entender a “régua” do ouro:

  • 24K: chamado “ouro mil”, é o ouro mais puro passível de extração na natureza (99,99%). Não pode ser comercializado sem fusões com outros materiais, dada sua maleabilidade;
  • 18K: um dos tipos de ouro mais comercializado nas joalherias do Brasil (75%);
  • 16K: ouro que possui 16 partes puras para 8 partes de outros metais (66%);
  • 14K: indica ter 14 partes de ouro para 10 partes de outros metais (58,3%);
  • 12K: é o chamado “ouro 50%”: são 12 partes de ouro para 12 de outros metais.

Coloração

Mas se o ouro é misturado a outros metais, é natural que seu aspecto visual, sobretudo sua tonalidade, seja alterado. É a partir dessa mistura que passa a ser possível encontrar ligas de ouro em cores como amarelo, branco, rosé, negro, vermelho e até verde. Confira!

  • ouro amarelo: é o metal em seu estado natural. Pela associação de sua cor a poder e riqueza, é a tonalidade mais buscada no mercado, o que faz com que, em uma peça de 18K, por exemplo, seja necessário misturar os 75% de ouro puro a 25% de prata, no intuito de manter a tonalidade dourada;
  • ouro rosé: material mais raro, e que pelo seu aspecto de delicadeza, é também bastante procurado pelas mulheres nas joalherias. Para se atingir essa coloração, é preciso misturar 75% de ouro com 22,5% de cobre e 2,75% de prata;
  • ouro “champagne”: muito encontrado em alianças, o chamado “ouro nobre” é obtido pela mistura de 75% de ouro puro + 25% de prata e níquel;
  • ouro azul: 75% de ouro puro + 25% de prata e zinco.

Por incrível que pareça, existe até o “ouro negro” (e não estamos falando de petróleo!), obtido pela mistura do ouro com prata, ferro e/ou aço.

Pois bem, neste post, você conheceu um pouco sobre as variações dos tipos de ouro quanto à sua tonalidade, coloração e textura. Porém, falta ainda ir até a origem, descobrindo como funciona a obtenção desse metal dourado dos sonhos.

Tem ideia de como funciona esse procedimento? Então, continue conosco, conhecendo agora tudo sobre o processo de beneficiamento dos mais diversos tipos de ouro!

Posts Relacionados

Agenda ESG: o que significa, como funciona e exemplos

Mineração de Ouro
13 de maio de 2022
leia agora

Licenciamento ambiental para mineração: saiba tudo sobre o tema

Mineração de Ouro
21 de dezembro de 2021
leia agora